A FIFARMA lança a segunda versão do W.A.I.T Indicator que mede os tempos de acesso a medicamentos inovadores na LATAM

Inovação
FIFARMA

A FIFARMA lança a segunda versão do W.A.I.T Indicator que mede os tempos de acesso a medicamentos inovadores na LATAM

Por FIFARMA

Acesse o relatório completo FIFARMA W.A.I.T. Indicator 2023

14 de fevereiro de 2024.. A Federação Latino-Americana da Indústria Farmacêutica (FIFARMA) lançou a segunda versão do FIFARMA W.AA .I.T. (Waiting to Access Innovative Therapies) Indicator para a América Latina. Este estudo analisa o tempo que os pacientes latino-americanos esperam para ter acesso a medicamentos para câncer e doenças raras. O projeto é inspirado em uma iniciativa europeia que está realizando a IQVIA para a Federação Europeia de Indústrias e Associações Farmacêuticas (EFPIA) desde 2004.

O estudo analisa os tempos para a disponibilidade e a aprovação de 228 tratamentos inovadores desde o momento em que são aprovados pelas agências regulatórias dos Estados Unidos (FDA) e da União Europeia (EMA) até estarem disponíveis para os pacientes em oito países da América Latina: Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México e Peru. 

O FIFARMA W.A.I.T. Indicator evidencia as disparidades existentes no acesso dos pacientes latino-americanos aos medicamentos, revelando que o tempo médio de espera desde a aprovação da FDA até à disponibilidade efetiva para os pacientes da região varia de 1,9 a mais de 4,5 anos. Atualmente, estima-se que um tratamento inovador contra o câncer que receba aprovação regulatória nos EUA neste mês de fevereiro de 2024, por exemplo, poderia estar disponível para os pacientes na América Latina no segundo semestre de 2028.

Além disso, o estudo mostra que dos 228 medicamentos aprovados pela EMA e pela FDA, apenas 130 têm aprovação regulatória em qualquer país da América Latina e, destes, apenas 86 estão amplamente disponíveis em pelo menos um dos países analisados.

Andre Ballalai, líder de acesso da IQVIA Latam, afirmou: “O estudo revela que Brasil e o México são frequentemente os primeiros países a conceder a aprovação regulatória na região, mas a existência de um ambiente complexo e fragmentado leva a prazos muito longos para conseguir um amplo reembolso”. 

Yaneth Giha, Diretora Executiva da FIFARMA, afirmou: Nosso objetivo é conseguir que os pacientes tenham acesso amplo e equitativo a medicamentos inovadores na América Latina". O relatório destaca a importância da colaboração entre indústria farmacêutica, agências governamentais, distribuidores, médicos e associações de pacientes para melhorar o acesso aos tratamentos. Juntos, podemos dar esperança a milhões de pessoas, garantindo que a inovação em saúde beneficie a todos por igual.”

Este relatório destaca os atrasos que os pacientes na América Latina enfrentam quando tentam ter acesso a tratamentos inovadores tanto para o câncer quanto para as doenças raras. Vale a pena salientar que o estudo não aprofunda nas razões subjacentes que há por trás desses atrasos. Portanto, ele poderá ser considerado como um ponto de partida para motivar a colaboração entre os diferentes atores do sistema de saúde regional, a fim de identificar e abordar as causas desses atrasos, melhorando assim o acesso dos pacientes às mais recentes inovações médicas e científicas.

Acesse o relatório completo FIFARMA W.A.I.T. Indicator 2023

Contato de imprensa:

María Alejandra De Guzmán   

madeguzman@fifarma.org 

Tag
Compartir

Buscar

Postagens recentes

pexels-julie-viken-593451
Qual é o tempo de espera para acessar novos medicamentos contra o câncer na América Latina?
pexels-photo-8736362
Impacto da Vacinação no Bem-Estar Econômico e Social
pexels-polina-tankilevitch-3735769
A nova geração de vacinas para os não iniciados